Sete Alegrias

"Alegra-Te, Cheia de Graça…"

Brígida – esposa e mãe

Hoje é dia de Santa Brígida, padroeira da Suécia, copadroeira da Europa, mãe de 4 meninos e 4 meninas – uma delas santa – escritora, teóloga, fundadora de monastério e mística – ufa! Nasceu em 1303 e morreu em 23 de julho de 1373, em Roma. Ficou conhecida por sua atuação política, na qual era orientada diretamente por Deus, por meio de visões e sonhos.

A política, entendida como a interação entre as pessoas visando o bem comum, é uma obrigação inescapável não apenas para os santos, mas para todos nós. Mesmo os ostras, pessoas fechadas em si mesmas e refratárias a quaisquer preocupações sociais, têm uma atitude política – no caso, a indiferença, a pior de todas as posturas políticas. Temas de debate público, como o aborto, não lhe interessam. Mas quando o governo mete a mão no seu dinheiro… epa! Aqui não! – aí ele fica uma fera. Lênin pregava o domínio sobre as populações por meio do imposto de renda progressivo. Vai reclamar do que se não quer lutar?

Brígida tinha Deus orientando-a diretamente. E a nós, simples criaturas normais, quem vai nos orientar, esclarecer e ensinar? João Bosco fez esta mesma pergunta em uma visão que teve quando ainda era criança e estava preocupado com os seus amiguinhos de rua, desamparados e órfãos, candidatos certos à vida de crime. A aparição disse ao menino para educar aquelas crianças. João Bosco perguntou “Mas quem vai me ensinar, se eu mesmo não sei?” Vou lhe dar uma Mestra, e só então João Bosco percebeu, ao lado dele, uma Senhora de indescritível beleza.

Maria deve ser a nossa primeira orientadora. É a ela a quem devemos dar ouvidos, estudando as suas aparições, rezando o terço e pedindo ajuda. Mãe da Igreja, ela nos deu o Catecismo, doutrina segura para nos orientar em caso de dúvida. Quando, por exemplo, um vigarista disfarçado de padre da auto-proclamada teologia da libertação – que não é teologia, muito menos de libertação, bem ao contrário, da escravidão porque marxista – diz alguma besteira, o Catecismo está aí para ser consultado e nos ajudar.

Em segundo lugar, alguns nomes se destacam no Brasil. Nas ciências políticas, o filósofo Olavo de Carvalho; no jornalismo, o site Mídia Sem Máscara e Reinaldo Azevedo; na atuação pública, os combativos Padre Lódi da Cruz e o Padre Paulo Ricardo. Não estou dizendo que estes homens são infalíveis, nem santos, nem têm a autoridade da doutrina da Igreja em todos os seus atos. Estou citando-os como fontes a serem estudadas. Aliás, eles próprios são os primeiros a reconhecer isto.

E, evidentemente, os ensinamentos do Papa devem sempre ser ouvidos e estudados. Rezemos a Santa Brígida, especial devota de Maria – qual santo não o é? –  copadroeira da Europa com Santa Catarina de Sena e Edith Stein, para guiar as palavras do Santo Padre em sua visita ao nosso país.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: