Sete Alegrias

"Alegra-Te, Cheia de Graça…"

Arquivos Mensais: fevereiro 2014

Fim de linha

Caras leitoras, caros leitores,

Este é o último post deste blog, que chegou ao fim por absoluta falta de recursos financeiros.

Agradeço a vocês pelo carinho e pela atenção que dispensaram às minhas pobres palavras.

Muito obrigado, de coração.

*

“Fazei tudo o que Ele vos disser”

* * * * * * *

Anúncios

Inteligência e Esperteza

Segundo Olavo de Carvalho, a inteligência é a capacidade de apreender a verdade. Por outro lado, a esperteza pode ser definida como a capacidade de deixar os outros para trás, passar-lhes a perna.

A inteligência é dom divino. Busca a Verdade e o Bem Supremo. Busca também o bem dos outros, na esteira do mandamento divino “Amar a Deus acima de todas as coisas, e ao próximo como a si mesmo”. É a regra de ouro, conhecida por todos os povos. O inteligente está disposto até mesmo a se deixar prejudicar em nome do bem comum. Os antigos já diziam: melhor ser vítima de uma injustiça do que cometê-la. A inteligência busca a graça de Deus.

O incapaz, querendo virar inteligente na marra, recorre à esperteza, simulacro maligno da inteligência. Vale tudo para passar na frente dos outros. Rasteiras, fofocas, difamação, facada nas costas, intrigas, boatos. O demônio, mentiroso e homicida, é o pai da esperteza. Vendo a presença do mal no mundo, o esperto pensa: se todos agem mal, por que eu também não posso agir? Por que não posso enganar quem me engana? Se todos estão roubando, porque eu não posso roubar? Ladrão que rouba ladrão não tem mil anos de perdão?

Não! Ladrão que rouba ladrão não tem perdão pois afasta o objeto roubado ainda mais do seu legítimo dono. Dizer que o comportamento alheio justifica um comportamento ilícito é dizer que a virtude é relativa – uma contradição em termos. Em outras palavras, é criticar o sacrifício de Cristo, o Justo sem pecado que perseguiu a virtude até o limite. Cada ato de esperteza é um insulto, um escárnio, um tapa na Divina Face. Se você for esperar o ambiente ideal para exercer a virtude, pode esperar sentado.

A esperteza nacional é o ar que respiramos. E, assim, a mentalidade mesquinha do brasileiro vai conduzindo o país ladeira abaixo. Juros, carga tributária, mortes no trânsito, assassinatos, fracasso escolar – o Brasil é sempre destaque nestas barbaridades. No Maranhão, exemplo emblemático da situação nacional, a esperteza se traduz em decapitações, incêndios e população desesperada. As cenas de bárbarie exibidas pelos meios de comunicação são o símbolo máximo da nossa cultura da esperteza.

Por isso, você, brasileiro esperto, é o verdadeiro assassino da menina Ana Clara, queimada viva aos seis anos de idade.

***

Ainda a mídia, a lei e a confusão

(Veja antes o post anterior)

Além de ser uma manobra de engenharia social, o episódio vem jogar lenha na fogueira da pedofilia, mais notadamente com relação à “idade de consentimento”. Quatorze anos? Doze? Por que não cinco? Ou nenhuma idade, desde o berço?

A pedofilia já avança a passos largos. As próximas etapas, alertou Olavo de Carvalho em recente hangout, são a bestialidade e a necrofilia.

Boa sorte a todos!

***

Mídia, lei e confusão

O Fantástico mostrou ontem uma reportagem sobre um prefeito do estado do Amazonas. Segundo a denúncia, ele está envolvido com aliciamento de menores para atividades sexuais. Menores de 14 e 15 anos (1.4 e 1.5 seriam os códigos para as idades). Note bem que a ênfase está no escândalo sexual envolvendo menores de idade.

Por outro lado, a lei federal número 12.594 de 18 de janeiro de 2012, em seu artigo 68, garante a menores o direito à “visita íntima”.

Ué?!

Como é que fica este conflito?

Fica do jeito que está, porque o objetivo destes legisladores é um só: criar leis conflitantes para levar você – isso mesmo, você, cara leitora, caro leitor – à confusão, ao estado mental da incerteza, à perplexidade. É uma técnica de manipulação psicológica colocada em prática com a ajuda da mídia de massa para abobalhar e escravizar você.

Cadê os homens de leis para resolver este problema?

***

A beleza importa?

Roger Scruton é um filósofo inglês conservador. Não deixe de ver o documentário Why Beauty Matters, escrito e apresentado por ele.

***

Frases

“No dia em que você encontrar um rico feliz, me mostre, porque eu ainda não vi nenhum.”

Sensei Corisco

*

“Quando você tem mais poder de grana, a religião fica um pouco de lado. Quanto mais rico, mais descrente.”

Zeca Pagodinho

*

“Ó alma minha, come, bebe e regala-te, pois tens bens acumulados para muitos anos”

“Louco! Esta noite te pedirão contas pela tua alma.”

Lucas, 12, 19-20

***

%d blogueiros gostam disto: