Sete Alegrias

"Alegra-Te, Cheia de Graça…"

Arquivos de tags: Afonso M de Ligório

Coroação de Maria Santíssima

“Um grande sinal apareceu no céu: uma mulher vestida de sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a cabeça.” – Ap 12, 1

Hoje, festa de Coroação de Maria Santíssima, doze frases para coroá-la.

“Pois em instantâneo eu achei a doçura de Deus: eu clamei pela Virgem… Agarrei tudo em escuros – mas sabendo de minha Nossa Senhora! O perfume do nome da Virgem perdura muito; às vezes dá saldos para uma vida inteira…” – Riobaldo – Grande Sertão: Veredas

“Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós.” – Medalha Milagrosa

“Deus criou três mundos: um mundo para a sua Igreja Militante – este mundo em que vivemos -, um mundo para a sua Igreja Triunfante – o Paraíso – e criou um mundo para Si… ao qual chamou Maria” – São Luis Maria Grignion de Montfort

“Deus quis que nada recebêssemos que não passe pelas mãos de Maria”. – São Bernardo de Claraval

“O Pai a coroa, participando-lhe o seu poder, o Filho a sabedoria, o Espírito Santo o amor. As três Pessoas divinas, colocando-lhe o trono à direita de Jesus, a declaram Rainha universal do céu e da terra.” – Santo Afonso Maria de Ligório – Glórias de Maria

“Quem é esta que avança como a aurora, formosa como a lua, brilhante como o sol, terrível como um exército em ordem de batalha?” – Ct 6, 10

“Mãe, hoje vi Nossa Senhora na Cova da Iria. Era uma Senhora tão linda, tão bonita.” – Jacinta, vidente de Fátima, 13 de maio de 1917

“Bendita és tu entre as mulheres e bendito o fruto do teu ventre. E donde me é dado que venha ter comigo a Mãe do meu Senhor?” – Lc 1, 42-43

“Que ela esteja com Aquele a quem trouxe no seio, que esteja junto Àquele que pôs no mundo, a quem aqueceu e nutriu, Maria, a Mãe de Deus, a ama de Deus, o reino de Deus, a imitadora de Deus” – Santo Agostinho

“Meio-dia. Vejo a Igreja aberta e entro. Mas não é para rezar, ó Mãe, que eu estou aqui dentro. Nada tenho a pedir, nada para dar. Venho somente, Mãe, para te olhar…” Paul Claudel – A Virgem do Meio-Dia

“Continuem a rezar o terço em honra de Nossa Senhora do Rosário para obter a paz do mundo e o fim da guerra, porque só Ela lhes poderá valer.” – Maria, em Fátima, 13 de julho de 1917

“Mulher, eis aí o teu filho… Eis aí tua mãe.” – Jo 19, 26-27

Controle Populacional, Controle Mental

Glórias de Maria é o título do mais famoso livro de Santo Afonso Maria de Ligório, cuja festa é comemorada hoje. O autor foi bispo, escritor, teólogo, filósofo, fundador dos Redentoristas, doutor da Igreja – só para resumir. A obra é um clássico da espiritualidade, escrito em parte para defender a devoção mariana, sob ataque na época – século XVIII – e composto por orações e devoções marianas, repleto de exemplos históricos da intervenção de Nossa Mãe.

Chama a atenção na vida deste santo o fato de pertencer a uma família numerosa. Os grandes benfeitores da humanidade sempre tiveram muitos irmãos, observa Jacques Leclerq em seu livro A Família.

A família com muitos filhos hoje é atacada. É politicamente incorreta. Não vou me ater aos falsos argumentos embutidos nas mentes distraídas por meio da mídia de massa, escolas e indústria cultural. São pessoas adestradas por engenheiros sociais, cuja arrogância só perde para a ignorância. Vou ao núcleo do problema.

Tudo começou na década de 1950, quando os malucos da Nova Ordem Mundial, ávidos por implantar uma ditadura internacional, resolveram diminuir a população do mundo – talvez porque seja mais fácil controlar menos gente – e investiram pesadamente no controle populacional. São eles os financiadores dos engenheiros sociais.

A Igreja, por seu lado, repete o ensinamento de sempre: a responsabilidade pela decisão quanto ao número de filhos é do casal, de ninguém mais – nem de ditadores, nem de governos. Evidentemente, sob critérios cristãos.

Em primeiro lugar, os filhos são uma benção. Se o amor é fértil, os frutos do amor conjugal são os filhos. Quando a mulher ama de verdade, pensa “Gostaria de ter um filho deste homem”.

Em segundo lugar, a pobreza, entendida como despreendimento dos bens materiais, é um exemplo deixado pelo próprio Nosso Senhor Jesus Cristo. No Brasil, infelizmente, o dinheiro passou a ser o critério número um, o norte dos relacionamentos. Francis Ford Copola, em recente passagem pelo país, observou “Alegria used to be the most important thing in Brazil; now, the most important thing is money”. Isto mesmo, falou “Alegria”, em português. O casal deve escolher entre juntar dinheiro e ter filhos. Realmente, é uma equação difícil de resolver.

Em terceiro lugar, os melhores educadores são os irmãos. Um cuida do outro, um ensina o outro, um faz companhia para o outro. Que infelicidade ser filho único!

Por fim, vale a pena lembrar o pensamento de Santo Agostinho: o matrimônio tem a dupla finalidade de dar livre curso ao amor conjugal e perpetuar a espécie. Este é um argumento clássico, e é contra ele que investe a Nova Ordem Mundial, pois sabe que a família numerosa é a base da civilização cristã, alvo de sua sanha destruidora.

Está em suas mãos decidir: Igreja ou Nova Ordem Mundial, liberdade ou ditadura, filhos ou dinheiro.

Peça ajuda a Maria, Mãe e Esposa.

%d blogueiros gostam disto: